quinta-feira, 17 de agosto de 2017

Efemérides tricolores - 17 de agosto


1913: em jogo válido pelo turno do Campeonato Carioca, no campo da rua Guanabara (atual Estádio de Laranjeiras), o Fluminense goleou o Mangueira por surreais 10 a 2. Os gols tricolores na partida foram de Vidal (contra), João Baptista (3), José Bello, Sarmento (2), Oswaldo Gomes (2) e Barthô.

1919: em partida válida pelo turno do Campeonato Carioca, no Estádio de Laranjeiras, o Fluminense ganhou por 4 a 0 do Bangu, gols de Machado (2), Zezé e Welfare. O Tricolor somava até ali cinco vitórias e uma derrota em seis jogos, no início da campanha do tricampeonato.

1924: em jogo válido pelo returno do Campeonato Carioca, em General Severiano, o Fluminense derrotou o Botafogo por 2 a 0, gols de Nilo e Fortes. Com uma campanha de 9 vitórias e 1 empate, o Tricolor seguia a passos firmes para voltar a conquistar o título de campeão do Rio de Janeiro.

1930: diante de 16.500 pessoas no Estádio do Fluminense, em Laranjeiras, a Seleção Brasileira derrotou o escrete dos Estados Unidos por 4 a 3. O capitão Preguinho, representante tricolor na Seleção, marcou o primeiro gol do jogo, aos 6 minutos do primeiro tempo. Este foi o primeiro confronto entre as duas seleções nacionais na história. A equipe norte-americana seguia na América do Sul após a disputa da Copa do Mundo do Uruguai, na qual fora semifinalista.

1939: em amistoso interestadual no Parque Antártica, o Fluminense venceu o São Paulo por 2 a 0, gols de Pedro Amorim e Mário Milani. Esta foi a primeira vitória tricolor no histórico do confronto com o São Paulo.

1941: em jogo do segundo turno do Campeonato Carioca, no Estádio de Laranjeiras, o Fluminense ganhou por 3 a 1 do Madureira. Hércules, Tim e Rongo marcaram os gols do Fluminense na partida, com Lelé descontando para o Madureira. Naquele ano, o Tricolor conquistaria o título do Campeonato Carioca, com 22 vitórias em 28 jogos, e o melhor ataque da história da competição (106 gols-pró).

1946: em partida válida pelo turno do Campeonato Carioca, em São Januário, o Fluminense perdeu para o America por 3 a 1. Lima, Oscar e Maneco marcaram os gols do America, e Rodrigues Tatu descontou para o Fluminense com um gol olímpico (direto de escanteio). O Tricolor passou a ter 5 vitórias e 2 derrotas em 7 jogos no Campeonato, que seria o mais disputado da história, com Fluminense, America, Botafogo e Flamengo terminando empatados em pontos. No Supercampeonato, em dezembro, o Fluminense sairia vencedor.

1947: no campo da rua Conselheiro Galvão, o Fluminense ganhou por 4 a 0 do Bangu, com três gols de Pinhegas e um de Simões, em jogo válido pelo turno do Campeonato Carioca.

1957: em jogo dramático no Estádio de Laranjeiras, o Fluminense obteve sua quarta vitória em quatro jogos no Campeonato Carioca: 1 a 0 sobre o Madureira, gol do ponta Escurinho, aos 37 minutos do segundo tempo.

1969: em Asunción, com o tricolor Félix no gol, a Seleção Brasileira venceu o Paraguai por 3 a 0, em partida das eliminatórias da Copa do Mundo. Na mesma tarde, o Maracanã recebeu 67.492 pagantes, para a rodada decisiva da Taça Guanabara, competição disputada à parte do Campeonato Carioca (que o Fluminense já havia conquistado, em 15 de junho). Na preliminar, Flamengo e Botafogo empataram em 1 a 1. No jogo principal, o Fluminense venceu o America por 1 a 0, gol de Flávio, aos 41 minutos do segundo tempo, e conquistou o título. Na temporada de 1969, o Rio de Janeiro era mesmo tricolor!

1974: no Estádio do Maracanã, em jogo do Campeonato Carioca, o Fluminense ganhou por 3 a 1 do Olaria. Os gols da vitória tricolor foram marcados por Kléber e Gil (2).

1975: diante de 100.703 pagantes no Estádio do Maracanã, a grande maioria de tricolores, o Fluminense conquistou o Campeonato Carioca, mesmo perdendo por 1 a 0 para o Botafogo (gol de Ademir, de falta, aos 23 do segundo tempo). O Tricolor podia ser derrotado por até dois gols, porque tinha melhor saldo de gols no triangular decisivo, em comparação com os rivais Botafogo e Vasco. A Máquina Tricolor, sob o comando técnico de Carlos Alberto Parreira, jogou com: Félix; Toninho, Silveira, Assis e Marco Antônio; Zé Mário, Carlos Alberto Pintinho (Kléber) e Rivellino; Cafuringa, Manfrini e Paulo Cezar Caju. Ao soar do apito final, o craque Rivellino estava visivelmente emocionado, pois finalmente conquistava um título por um clube: o Fluminense, campeão carioca pela 22ª vez na história!

1980: o Fluminense estreou no Campeonato Carioca com vitória: 2 a 0 sobre o Bonsucesso, gols de Gilberto e Edinho, no Estádio Luso-Brasileiro. Era o início de uma bela campanha, em que o Fluminense, com um time de jovens formados em casa, voltaria a ser campeão estadual.

1989: na sequência da excursão pela Europa, o Fluminense derrotou o Livorno, da Itália, por 3 a 0, gols de Gama, Vânder Luís e Hélio, no Stadio Armando Picchi, em Livorno.

2002: em partida válida pelo Campeonato Brasileiro, no Estádio do Maracanã, o Fluminense derrotou o Grêmio por 3 a 1. Os gols tricolores foram assinalados por Magno Alves e Romário (2).

2005: o Fluminense estreou na Copa Sul-Americana com uma vitória por 2 a 1 sobre o Santos, em São Januário. Os gols do Fluminense no jogo foram de Tuta e Gabriel.

2008: em partida do Campeonato Brasileiro, no Estádio do Maracanã, o Fluminense ganhou por 1 a 0 do Atlético Mineiro, com um gol do atacante Dodô, aos 16 minutos do segundo tempo.

2011: em jogo válido pelo Campeonato Brasileiro, no Engenhão, o Fluminense venceu o Figueirense por 3 a 0, gols de Edinho e Rafael Moura (2).

2013: na Arena Pernambuco, em São Lourenço da Mata, em partida válida pelo Campeonato Brasileiro, o Fluminense ganhou por 1 a 0 do Náutico, graças ao gol de Samuel, aos 25 minutos do segundo tempo.

****

Aniversariantes do dia:

Gil Trindade de Almeida (1934), zagueiro que integrou o elenco do Fluminense na temporada de 1954.

Jorge de Amorim Campos, o Jorginho (1964), lateral-direito e volante com curta passagem pelo Fluminense na temporada de 2002, tendo atuado em 8 partidas do primeiro semestre daquele ano. Na Seleção Brasileira, foi o lateral-direito titular na conquista da Copa do Mundo de 1994, nos Estados Unidos.

Roger Galera Flores (1978), meio-campista formado pelo Fluminense, com 58 gols marcados em 221 jogos pelo time profissional tricolor, entre 1996 e 2004. Com a camisa do Fluminense, participou das campanhas vitoriosas da Copa Rio de Janeiro de 1998 e da Série C do Campeonato Brasileiro de 1999.

Leandro Teixeira Dantas (1987), volante que integrou o elenco do Fluminense em 2010, após se destacar no Duque de Caxias.

PCFilho

Palpites da Loteca - Concurso 763


Amigos e amigas, seguem abaixo os porcentuais estimados de apostas nas 14 partidas que compõem o concurso número 763 da Loteca. Nos parênteses ao lado de cada jogo, há três porcentuais: o primeiro refere-se à vitória do time mandante, o segundo refere-se ao empate, e o terceiro refere-se à vitória do time visitante:
1) Bahia x Vasco (55% 25% 20%)
2) Cruzeiro x Sport Recife (60% 25% 15%)
3) Coritiba x Santos (20% 30% 50%)
4) Remo x Botafogo PB (50% 30% 20%)
5) ABC x Internacional (10% 10% 80%)
6) Guarani x Santa Cruz (70% 20% 10%)
7) Boa Esporte x Ceará (30% 40% 30%)
8) Corinthians x Vitória (90% 5% 5%)
9) Sampaio Corrêa x Fortaleza (40% 35% 25%)
10) Flamengo x Atlético Goianiense (80% 10% 10%)
11) Avaí x São Paulo (30% 30% 40%)
12) Ponte Preta x Botafogo (60% 25% 15%)
13) Palmeiras x Chapecoense (90% 5% 5%)
14) Grêmio x Atlético Paranaense (50% 25% 25%)

As apostas neste concurso 763 da Loteca podem ser registradas até as 14:00 de Brasília do sábado 19, em qualquer casa lotérica do Brasil. A estimativa de prêmio para um ganhador único com 14 acertos é de R$ 300.000,00 (trezentos mil reais). Os rateios das premiações para as faixas de 14 e 13 acertos serão divulgados pela Caixa Econômica Federal em seu site, na tarde da segunda-feira 21.

Vocês concordam com os porcentuais acima? Discordam deles? Qual será a grande zebra do concurso? Qual é a aposta ideal para abocanhar esse concurso da Loteca? Será um prazer receber os seus comentários abaixo!

Muito obrigado a todos vocês pelo prestígio a este blog Jornalheiros, e boa sorte rumo aos 14 acertos! Apostem com moderação!

PCFilho

PS: estou terminando de escrever o e-book "Um método inteligente para apostar na Loteca", detalhando minuciosamente a estratégia que desenvolvi para a loteria esportiva. Interessados, por favor entrar em contato por e-mail: pcfilho@gmail.com, ou nos comentários abaixo. Ainda é possível adquirir o e-book com desconto.

quarta-feira, 16 de agosto de 2017

Xadrez - Mate em 2! (Huibrecht Van Beek)

Huibrecht Van Beek, The Chess Problem, 1947.
Código FEN: 4K3/1n3B1b/3p1B1b/p1p5/RP2k1P1/1r5N/2Pp1PPQ/3r4 w - - 0 1.

As Brancas jogam e dão xeque-mate em 2 lances!

(White to play and give checkmate in 2 moves!)

PCFilho

Efemérides tricolores - 16 de agosto



1914: em partida válida pelo returno do Campeonato Carioca, no campo da rua Guanabara (atual Estádio de Laranjeiras), o Fluminense ganhou por 4 a 1 do Paysandu. Os gols tricolores foram de Welfare, Barthô (2) e Oswaldo Gomes.

1930: no Estádio de Lourdes, Fluminense e Atlético Mineiro disputaram a primeira partida noturna da cidade de Belo Horizonte. O jogo amistoso, que foi também o primeiro confronto entre os tradicionais clubes, terminou empatado em 1 a 1, com Zé Maria marcando o gol tricolor. Um dos presentes na arquibancada foi o senhor Jules Rimet, presidente da FIFA.

1931: em jogo pela semifinal do Campeonato Brasileiro de Seleções Estaduais, no Estádio do Fluminense, em Laranjeiras, a Seleção Carioca venceu a Seleção Baiana por 6 a 0, com atuação destacada do craque tricolor Preguinho, que marcou três gols. Walter (2) e Coelho assinalaram os outros gols cariocas. O escrete carioca atuou com: Zezé [Bangu]; Domingos da Guia [Bangu] e Hildegardo [America]; Hermógenes [America], Zezé [S. C. Brasil] e Ivan Mariz [Fluminense]; Walter [S. C. Brasil], Leônidas da Silva [Bonsucesso], Coelho [S. C. Brasil], Preguinho [Fluminense] e Theóphilo [Fluminense]. Na outra semifinal da competição, a Seleção Paulista massacrou a Seleção Pernambucana por 11 a 3, na Chácara da Floresta, em São Paulo. Cariocas e paulistas decidiriam o Campeonato Brasileiro nas semanas seguintes, em três partidas (vide aqui nas próximas efemérides!).

1934: em jogo amistoso, no Estádio de Laranjeiras, o Fluminense ganhou por 7 a 2 do Sport de Juiz de Fora. Barriloti, Pirica, Vicentino (2) e Russo (3) marcaram os gols tricolores na partida.

1953: em partida válida pelo turno do Campeonato Carioca, diante de uma multidão no Maracanã (116.266 presentes, com 103.132 pagantes), o Fluminense derrotou o Flamengo por 3 a 2. Róbson, Telê (de pênalti) e Marinho marcaram os gols tricolores, com Esquerdinha e Evaristo de Macedo descontando para o Flamengo. As duas torcidas viviam momentos de empolgação: os rubro-negros felizes com o bom início de Campeonato (cinco vitórias nas cinco primeiras rodadas); e os tricolores entusiasmados com um dos melhores times de sua história, campeão mundial no ano anterior. O resultado foi o maior público da história do Fla-Flu até aquela data, superando o clássico de 14/10/1951 (que tivera 109.212 presentes).

1961: em jogo válido pelo primeiro turno do Campeonato Carioca, em São Januário, o Fluminense ganhou por 1 a 0 do Canto do Rio, com um gol do zagueiro Pinheiro, cobrando falta, aos 15 minutos do primeiro tempo.

1970: diante de 61.667 pagantes no Maracanã, o Fluminense venceu o America por 3 a 1, e conquistou o primeiro turno do Campeonato Carioca. Flávio, Aldeci (contra) e Lula assinalaram os gols da vitória tricolor.

1984: na sequência do giro pela Itália, o Fluminense ganhou por 3 a 2 da SPAL, no Stadio Paolo Mazza, em Ferrara. Os gols tricolores no amistoso foram marcados por Romerito, Tato e Washington.

1986: em mais um amistoso na Espanha, o Fluminense goleou o Deportivo Segóvia por 8 a 0, no Estádio Municipal de La Albuera. Os gols foram de Washington (2), Paulinho, Marcão (4) e Gallo.

2015: em jogo válido pelo Campeonato Brasileiro, com 23.130 presentes no Estádio do Maracanã, o Fluminense venceu o Figueirense por 2 a 1. Os gols tricolores na partida foram marcados no segundo tempo, através de Cícero (aos 3) e Fred (aos 19).

****

Aniversariantes do dia:

Faustivânio Venâncio Fernandes, o Vanin (1975), lateral-esquerdo com 30 atuações pelo Fluminense na temporada de 2000.


Caio Ribeiro Decoussau (1975), atacante com 7 gols marcados em 38 partidas pelo Fluminense, entre as temporadas de 2001 e 2002, ano em que foi campeão carioca.

PCFilho

Cartola FC - Dicas da 21ª rodada - 2017


Amigos e amigas, a 21ª rodada do Campeonato Brasileiro de 2017 terá os seguintes dez jogos, no sábado 19, no domingo 20 e na segunda-feira 21, todos valendo pontos para o Cartola FC:
19/08/2017 (sábado)
16:00 - Corinthians x Vitória - Itaquerão (São Paulo)
19:00 - Flamengo x Atlético Goianiense - Luso-Brasileiro (Rio de Janeiro)
20/08/2017 (domingo)
11:00 - Grêmio x Atlético Paranaense - Arena do Grêmio (Porto Alegre)
16:00 - Avaí x São Paulo - Ressacada (Florianópolis)
16:00 - Bahia x Vasco - Fonte Nova (Salvador)
16:00 - Cruzeiro x Sport Recife - Mineirão (Belo Horizonte)
16:00 - Ponte Preta x Botafogo - Moisés Lucarelli (Campinas)
19:00 - Coritiba x Santos - Couto Pereira (Curitiba)
19:00 - Palmeiras x Chapecoense - Allianz Parque (São Paulo)
21/08/2017 (segunda-feira)
20:00 - Fluminense x Atlético Mineiro - Maracanã (Rio de Janeiro)

****

Na última rodada, a escalação sugerida aqui no blog zicou feio e só marcou 14,43 pontos (😭). No acumulado do Campeonato, as escalações sugeridas somam 984,77 pontos, média de 49,24 pontos por rodada.

Minha sugestão de escalação para esta 21ª rodada, no esquema tático 4-3-3, é a seguinte, com custo total de C$ 158,06:
- Goleiro: Vanderlei (Santos, C$ 22,09);
- Laterais: Renê (Flamengo, C$ 5,93) e Mena (Sport Recife, C$ 6,78);
- Zagueiros: Balbuena (Corinthians, C$ 11,89) e Luan (Palmeiras, C$ 7,24);
- Meias: Hernanes (São Paulo, C$ 18,79), Renê Júnior (Bahia, C$ 11,87) e Zé Rafael (Bahia, C$ 18,77);
- Atacantes: Fernandinho (Grêmio, C$ 11,62), (Corinthians, C$ 12,75) e Henrique Dourado 🔪 (Fluminense, C$ 20,95);
- Técnico: Dorival Júnior (São Paulo, C$ 9,38).

****

A nossa Liga Jornalheiros tem 568 participantes! O ranking com os 10 maiores pontuadores da Liga até agora está abaixo. Se você quiser participar da Liga, deve solicitar a entrada clicando aqui.

1º. Palmeiras.Campeao.de.novo (Flávio), 1351,67 pts;
2º. Dale juvem (Gabriel Ckim Mitoo), 1345,98 pts;
3º. Paulinho_mengão (Paulo Henrique), 1326,42 pts;
4º. Palmeiras Sempre Palmeiras FutebolClube (Gustavo Pim), 1314,98 pts;
5º. VARGAS fc 2017 (angelo), 1313,53 pts;
6º. Fegu fc (Felipe), 1311,52 pts;
7º. Recifee FC (Rafael Botelho), 1311,48 pts;
8º. CyKyM4ster FC (Evenny), 1311,34 pts;
9º. Canelas de Aço (Lucy Marinho), 1309,90 pts;
10º. Fecha Curto FC (Allan Oliveira), 1304,28 pts.

O mito da Liga Jornalheiros na última rodada foi o time Frauzão F C, do cartoleiro Alexandre Naufal, que somou 72,92 pontos! Parabéns!

****

O Jornalheiros é um espaço democrático: os comentários de todos são bem-vindos, lembrando sempre: respeito em primeiro lugar! Sigam as regras do blog, grafem os nomes dos clubes da maneira correta, e tratem bem todos os que interagirem aqui. Boa sorte a todos, e muito obrigado pelo prestígio de sempre ao blog!

PCFilho

PS: para os que também curtem a Loteca, estou terminando de escrever o e-book "Um método inteligente para apostar na Loteca", detalhando minuciosamente a estratégia que desenvolvi para a loteria esportiva da Caixa Econômica Federal. Interessados, por favor entrem em contato por e-mail: pcfilho@gmail.com. Ainda há tempo de adquirir o e-book com desconto.

terça-feira, 15 de agosto de 2017

Efemérides tricolores - 15 de agosto



1872: um grupo de jovens ingleses apaixonados por esportes fundou o Rio Cricket Club, para a prática do críquete, num terreno alugado no caminho do Berquó (atual rua General Polidoro), em Botafogo. Do Rio Cricket Club surgiria, em 1880, o Paysandu Cricket Club - um dos sócios era George Emmanuel Cox, pai de Oscar Alfredo Cox, que nascera naquele ano e, em 1902, juntamente com outros sócios do Paysandu, resolveria fundar um novo clube, para dar mais atenção ao futebol: o Fluminense Football Club.

1902: o Fluminense Football Club participou pela primeira vez de uma competição esportiva, com uma equipe de atletismo, na festa campestre promovida no bairro de Icaraí, em Niterói, pelo Rio Cricket and Athletic Association, em comemoração à coroação de Sua Majestade o Rei Eduardo VII, do Reino Unido. Já no primeiro evento do dia, o Fluminense mostrou sua vocação para a glória: seu atleta e fundador Victor François Etchegaray venceu a sua semifinal da corrida de 100 jardas - depois, Victor venceu também a final, tornando-se o primeiro atleta a ser campeão pelo Fluminense. No evento do levantamento de peso, veio a segunda glória do Fluminense, com a vitória de Louis da Nóbrega Júnior.
O cartaz da primeira competição de que o Fluminense participou.
Arquivo de Affonso Castro.

1904: no segundo amistoso da inauguração da primeira arquibancada do campo da rua Guanabara, o Fluminense perdeu novamente para o Paulistano (2 a 0). Da mesma forma que na partida da véspera, um bom público esteve presente, para conhecer o primeiro estádio construído especificamente para a prática do futebol no Rio de Janeiro, e também para apreciar o confronto do Fluminense com o então vice-campeão paulista. Nos 15 primeiros jogos de sua história, o Fluminense acumulou 9 vitórias, 2 empates e 4 derrotas.

1909: no primeiro confronto entre campeões estaduais na história do futebol brasileiro, o Fluminense venceu o Paulistano por 3 a 1, no campo da rua Guanabara (atual Estádio de Laranjeiras), em partida cercada de muita expectativa. A grande vitória tricolor sobre o campeão paulista começou com um golaço do zagueiro Félix Frias, de longe, por cobertura. O centroavante Bibi empatou para o Paulistano com um chute firme e rasteiro, mas ainda no primeiro tempo Emile Etchegaray pôs o Fluminense novamente na frente, com um chute enviesado à meia altura, após receber passe de Hargreaves. Na etapa final, o Paulistano teve um pênalti a seu favor: Bibi cobrou e o goleiro tricolor Waterman defendeu, mas em vão, pois o árbitro mandou voltar a cobrança - na segunda tentativa, Bibi chutou por cima. Pouco depois, Hargreaves assinalou o terceiro gol do Fluminense, em lance polêmico, pois houve reclamações de toque de mão de um jogador tricolor. O Fluminense atuou com: Waterman; Victor Etchegaray e Félix Frias; Nestor Macedo, Mutzembecker e Gallo; Waymar, Joaquim da Costa Santos, Hargreaves, Emile Etchegaray e Armínio Motta. O Paulistano jogou com: Armando Pederneiras; Cyro e Tommy; Gullo, Tutu e Rubens Salles; Joaquim Prado, Pelayo, Bibi, Gonçalves e Fernão Salles. Embora não houvesse uma taça em jogo, esta partida pode ser considerada como a primeira disputa pelo título de "melhor time de futebol do Brasil" com algum critério técnico. O vencedor de tal disputa só poderia ser mesmo o Fluminense.
O Fluminense de 1909: melhor time de futebol do Brasil.
Na fila de cima: Victor Etchegaray, Waterman e Félix Frias.
Na fila do meio: Nestor Macedo, Mutzembecker e Gallo.
Na fila de baixo: Waymar, Joaquim da Costa Santos, Hargreaves, Emile Etchegaray e Armínio Motta.
Foto: site oficial do Fluminense.

1917: em partida válida pelo turno do Campeonato Carioca, em General Severiano, o Fluminense derrotou o Botafogo por 4 a 2, de virada, com dois gols de Couto e dois gols de Celso, todos nos últimos 20 minutos do jogo. Foi a sétima vitória tricolor em sete jogos na competição - o início da brilhante campanha que terminaria com a conquista do primeiro título do histórico tricampeonato entre 1917 e 1919.

1918: em um resultado surpreendente, o Fluminense perdeu por 1 a 0 para o modesto Villa Isabel, gol-contra de Chico Netto, no campo do Jardim Zoológico, em jogo do returno do Campeonato Carioca. Foi a única derrota tricolor na campanha do bicampeonato.

1937: o Fluminense encerrou sua primeira viagem ao Rio Grande do Sul com uma bela vitória: 4 a 0 sobre o Grêmio, gols de Vicentino, Romeu Pellicciari, Hércules (de falta) e Sandro, no Estádio da Baixada, em Porto Alegre. Este foi o primeiro confronto deste grande clássico do futebol brasileiro.

1942: em jogo válido pelo segundo turno do Campeonato Carioca, no Estádio de Laranjeiras, o Fluminense ganhou por 2 a 0 do Bonsucesso, gols de Adilson e Russo.

1944: em partida do turno do Campeonato Carioca, no Estádio de Laranjeiras, o Fluminense venceu o Bonsucesso por 3 a 1. Os gols tricolores foram assinalados por Magnones (de pênalti), Pirombá e Bolinha (contra).

1948: em jogo do Campeonato Carioca, o Fluminense ganhou por 5 a 2 do Bangu, no Estádio de Laranjeiras. No primeiro tempo, Orlando Pingo de Ouro abriu o placar para o Fluminense, Amaral empatou para o Bangu, e o Tricolor marcou mais três gols, com Cento-e-Nove, Rodrigues Tatu e Guálter (contra). Na etapa final, Cardoso descontou para o Bangu, e Simões fechou o placar em 5 a 2.

1954: o Fluminense conquistou o título de campeão do Torneio Início do Rio de Janeiro, perante 45.276 pagantes no Estádio do Maracanã! Nas três partidas, o Fluminense jogou com: Adalberto; Getúlio e Pinheiro; Jair Sant'Anna, Emílson e Bigode; Milton Bororó, Didi, Waldo, Róbson e Esquerdinha. No primeiro jogo, com dois tempos de 10 minutos, uma vitória sobre o Olaria por 1 a 0, gol de Didi, por cobertura, aos 2 minutos do 2º tempo. No segundo duelo, novamente com dois tempos de 10 minutos, um tenso empate em 0 a 0 com o Vasco, e na definição por pênaltis, vitória do Fluminense por 5 a 4, com o ponta tricolor Esquerdinha convertendo todas as suas cinco cobranças, e o vascaíno Alvinho desperdiçando duas de suas seis tentativas. Na grande decisão, com dois tempos de 30 minutos, o Fluminense derrotou o Flamengo por 1 a 0, gol chorado de Esquerdinha, com a bola tocando a trave antes de entrar, aos 27 minutos do primeiro tempo, com assistência de Róbson. No finalzinho, o Flamengo quase empatou com Paulinho, mas o capitão Bigode fez um milagre e salvou o gol certo com uma acrobacia, em cima da linha do gol. O Fluminense, campeão do Torneio Início de 1954, recebeu a Taça Antônio Santassusagna pela memorável conquista.

1973: no jogo extra para decidir o grupo B do terceiro turno do Campeonato Carioca, o Fluminense ganhou por 1 a 0 do Botafogo, no Maracanã, gol de Manfrini. Com a vitória, o Fluminense recebeu a Taça José Ferreira Agostinho, e garantiu vaga na decisão do Campeonato, por já ter vencido também o segundo turno. A final seria na semana seguinte, contra o vencedor do confronto entre Flamengo e Vasco (vide 22 de agosto).

1982: em partida do Campeonato Carioca, em Ítalo Del Cima, o Fluminense venceu o Campo Grande por 3 a 0, gols de Robertinho, Zezé Gomes e Gilcimar.

1985: em jogo da fase de grupos da Copa Libertadores, no Estádio do Maracanã, o Fluminense empatou em 0 a 0 com o Vasco. Os dois clubes cariocas faziam campanha ruim, e terminariam eliminados da competição sul-americana.

1986: em amistoso na Espanha, o Fluminense venceu a AD Tarancón por 12 a 1, gols de Édson Souza (3), Washington (2), Romerito, Renê (2), Jandir, Marcão (2) e Leomir. Esta partida é a maior goleada da história do Fluminense em jogos internacionais.

2010: em jogo válido pela 14ª rodada do Campeonato Brasileiro, perante 59.056 pessoas no Maracanã, o Fluminense ganhou por 3 a 0 do Internacional, gols de Mariano, Washington e Emerson Sheik. Foi a 10ª vitória tricolor na competição - com 2 empates e 2 derrotas, o Fluminense somava 32 pontos na campanha que culminaria na conquista do terceiro Brasileirão de sua história.

2012: em partida válida pela 17ª rodada do Campeonato Brasileiro, no Independência, em Belo Horizonte, o Fluminense empatou em 1 a 1 com o Cruzeiro. O gol tricolor foi assinalado por Fred, de cabeça. O Fluminense passou a somar 36 pontos ganhos na tabela de classificação do Campeonato Brasileiro, com 10 vitórias, 6 empates e 1 derrota. A ótima campanha terminaria com a conquista do quarto Brasileirão da história tricolor.

****

Aniversariantes do dia:

Mário Milani (1918), eficiente centroavante com 34 gols marcados em 45 jogos pelo Fluminense entre as temporadas de 1939 e 1940, ano em que conquistou o Torneio Início (no qual marcou o gol da vitória na semifinal, não-contabilizado entre os 34) e o Campeonato Carioca.

Jorge de Souza Cabral (1926), atacante que integrou o elenco do Fluminense na temporada de 1951.

Ricardo da Cruz Cerqueira, o Ricardo Cruz (1963), goleiro formado pelo Fluminense, com 73 atuações pelo time principal tricolor, entre os anos de 1983 e 1994. Fez parte do elenco tricampeão Carioca entre 1983 e 1985 e campeão Brasileiro de 1984.

Jancarlos de Oliveira Barros (1983), lateral-direito formado pelo Fluminense, com 2 gols marcados em 83 partidas pelo time profissional tricolor, entre as temporadas de 2001 e 2005. Fez parte dos elencos campeões Cariocas em 2002 e 2005.

PCFilho

Ficha Técnica: Santos 0 x 0 Fluminense

Foto: Sergio Barzaghi (Gazeta Press).

14/08/2017 - Santos 0 x 0 Fluminense - Pacaembu (São Paulo)
Motivo: Campeonato Brasileiro 2017, 20ª rodada.
Público: 22.018 presentes (19.457 pagantes).
Renda: R$ 686.240,00.
Árbitro: André Luiz de Freitas Castro (GO).
Auxiliares: Bruno Raphael Pires (FIFA e GO) e Leone Carvalho Rocha (GO).
Santos: Vanderlei; Victor Ferraz, Lucas Veríssimo, Gustavo Henrique e Zeca; Alison, Léo Cittadini e Lucas Lima; Vladimir Hernández (Jean Mota), Thiago Ribeiro (Lucas Crispim) e Ricardo Oliveira (Kayke). Técnico: Levir Culpi.
Fluminense: Júlio César; Lucas, Henrique, Renato Chaves e Léo Pelé; Marlon Freitas, Jefferson Orejuela, Wendel e Gustavo Scarpa (Robert); Wellington Silva (Marcos Júnior) e Henrique Dourado (Pedro). Técnico: Abel Braga.
Cartões amarelos: Alison e Lucas Lima (Santos); Henrique Dourado e Marlon Freitas (Fluminense).

Este foi o 95º duelo entre os clubes na história. O retrospecto mostra 38 vitórias do Fluminense, 20 empates e 37 vitórias do Santos, 157 gols do Fluminense e 153 gols do Santos (para conferir a lista com todos os resultados, vide post História - Fluminense x Santos). Este foi o primeiro empate sem gols no confronto desde 26 de outubro de 1969.

PCFilho

Probabilidades do Brasileirão 2017 - rodada 20


Amigos, seguem abaixo as probabilidades do Campeonato Brasileiro, após o término da 20ª rodada (faltando a realização da partida Chapecoense x Corinthians, adiada da 20ª rodada). Os cálculos são do engenheiro Ramón Martins.

Foram calculados os cenários de título, vaga na Copa Libertadores, vaga na Copa Sul-Americana e rebaixamento. Os porcentuais obtidos são resultados de milhares de simulações computacionais, que utilizam modelos probabilísticos baseados exclusivamente nos desempenhos de cada clube ao longo da competição.

G1: probabilidade de o time ser o campeão brasileiro de 2017:
1º. Corinthians, 89,8%
2º. Grêmio, 8,0%
3º. Santos, 1,1%
4º. Palmeiras, 1,0%
5º. Flamengo, 0,1%

G4: probabilidade de o time terminar a competição nas quatro primeiras posições (vaga direta na Copa Libertadores):
1º. Corinthians, 100,0%
2º. Grêmio, 93,4%
3º. Santos, 68,1%
4º. Palmeiras, 65,1%
5º. Atlético Paranaense, 14,7%
6º. Flamengo, 13,4%
7º. Sport Recife, 9,4%
8º. Fluminense, 7,9%
9º. Cruzeiro, 7,7%
10º. Botafogo, 7,2%
11º. Atlético Mineiro, 4,9%
12º. Vasco, 2,5%
13º. Coritiba, 2,2%
14º. Ponte Preta, 1,0%
15º. São Paulo, 0,8%
16º. Chapecoense, 0,8%
17º. Bahia, 0,7%
18º. Avaí, 0,2%
19º. Vitória, 0,1%

G6: probabilidade de o time terminar a competição nas seis primeiras posições (vaga direta na Libertadores ou vaga na pré-Libertadores):
1º. Corinthians, 100,0%
2º. Grêmio, 98,3%
3º. Santos, 88,5%
4º. Palmeiras, 85,6%
5º. Atlético Paranaense, 37,2%
6º. Flamengo, 35,9%
7º. Sport Recife, 27,3%
8º. Fluminense, 25,4%
9º. Cruzeiro, 24,9%
10º. Botafogo, 22,4%
11º. Atlético Mineiro, 17,4%
12º. Vasco, 10,0%
13º. Coritiba, 8,7%
14º. Ponte Preta, 5,2%
15º. São Paulo, 4,3%
16º. Chapecoense, 3,6%
17º. Bahia, 3,5%
18º. Avaí, 1,2%
19º. Vitória, 0,7%

SA: probabilidade de o time terminar a competição entre o 7º e o 12º lugares (vaga na Copa Sul-Americana):
Grêmio, 1,6%
Santos, 11,1%
Palmeiras, 13,4%
Atlético Paranaense, 48,3%
Flamengo, 49,3%
Sport Recife, 50,6%
Fluminense, 51,2%
Cruzeiro, 50,5%
Botafogo, 51,1%
Atlético Mineiro, 47,1%
Vasco, 43,1%
Coritiba, 40,2%
Ponte Preta, 32,5%
São Paulo, 30,7%
Chapecoense, 25,5%
Bahia, 26,8%
Avaí, 16,4%
Vitória, 9,0%
Atlético Goianiense, 1,4%

Z4: probabilidade de o time terminar a competição nas quatro últimas posições (rebaixamento para a Série B):
Palmeiras, 0,1%
Atlético Paranaense, 2,3%
Flamengo, 2,5%
Sport Recife, 4,3%
Fluminense, 4,6%
Cruzeiro, 5,0%
Botafogo, 5,5%
Atlético Mineiro, 9,5%
Vasco, 14,7%
Coritiba, 18,1%
Ponte Preta, 25,7%
São Paulo, 29,7%
Bahia, 33,0%
Chapecoense, 37,1%
Avaí, 50,0%
Vitória, 66,1%
Atlético Goianiense, 91,7%

PCFilho

segunda-feira, 14 de agosto de 2017

Brasileirão 2017 - Classificação após a 20ª rodada

Clique na tabela para ampliá-la.
Fonte: site Futbol24.

Observação: está faltando a realização da partida entre Chapecoense e Corinthians, pela 20ª rodada, adiada em decorrência da excursão da Chapecoense ao exterior.

Jogos da 21ª rodada:
19/08/2017 (sábado)
16:00 - Corinthians x Vitória - Itaquerão (São Paulo)
19:00 - Flamengo x Atlético Goianiense - Luso-Brasileiro (Rio de Janeiro)
20/08/2017 (domingo)
11:00 - Grêmio x Atlético Paranaense - Arena do Grêmio (Porto Alegre)
16:00 - Avaí x São Paulo - Ressacada (Florianópolis)
16:00 - Bahia x Vasco - Fonte Nova (Salvador)
16:00 - Cruzeiro x Sport Recife - Mineirão (Belo Horizonte)
16:00 - Ponte Preta x Botafogo - Moisés Lucarelli (Campinas)
19:00 - Coritiba x Santos - Couto Pereira (Curitiba)
19:00 - Palmeiras x Chapecoense - Allianz Parque (São Paulo)
21/08/2017 (segunda-feira)
20:00 - Fluminense x Atlético Mineiro - Maracanã (Rio de Janeiro)

Jogo adiado da 20ª rodada:
23/08/2017 (quarta-feira)
19:30 - Chapecoense x Corinthians - Arena Condá (Chapecó)

PCFilho

Efemérides tricolores - 14 de agosto


1904: em jogo amistoso interestadual, o Fluminense inaugurou a primeira arquibancada do seu campo, na rua Guanabara (atual Estádio de Laranjeiras). Na pequena arquibancada de madeira, isolada do gramado por uma corda, o público assistiu à vitória do Paulistano por 3 a 0. Para cobrir os custos da construção, o Fluminense cobrou pela entrada dos não-sócios, na primeira venda de ingressos da história do futebol carioca. Foram exatos 996 pagantes: 806 entradas vendidas aos sócios, e 190 ingressos vendidos na bilheteria, cada um por dois mil réis. Estava oficialmente inaugurado o primeiro estádio construído originalmente para o futebol no Brasil.

1938: o Fluminense sagrou-se campeão do Torneio Municipal do Rio de Janeiro, ao golear o America por 6 a 0, no Estádio de Laranjeiras, com gols de Sandro (3), Orlandinho, Romeu Pellicciari e Tim. A campanha do título teve 16 jogos, 11 vitórias, 1 empate e 4 derrotas, 39 gols-pró e 18 gols-contra. Nos meses seguintes, aquele timaço tricolor conquistaria também o tri no Campeonato Carioca.

1949: em jogo do turno do Campeonato Carioca, no Estádio de Laranjeiras, o Fluminense ganhou por 3 a 0 do Olaria, gols de Cento-e-Nove, Osvaldo (contra) e Santo Cristo.

1955: em partida válida pelo primeiro turno do Campeonato Carioca, na rua Bariri, o Fluminense venceu o Olaria por 2 a 1. Os gols da vitória tricolor foram assinalados por Didi (de falta) e Escurinho.

1976: em jogo da última rodada do terceiro turno do Campeonato Carioca, no Maracanã, o Fluminense goleou o Botafogo por 5 a 1, e garantiu a primeira posição do turno, conquistando a Taça Amadeu Rodrigues Sequeira e uma vaga na fase final. Os gols tricolores foram assinalados por Carlos Alberto Torres, Doval, Rivellino e Gil (2). Na fase final, Fluminense, Vasco, Botafogo e America mediriam forças, nas semanas seguintes. O Tricolor terminaria bicampeão carioca.

1984: na final do Torneio de Udine, no Stadio Friuli, o Fluminense perdeu por 4 a 1 para o Köln, da Alemanha Ocidental, ficando com o vice-campeonato. O lateral-esquerdo Branco assinalou o gol de honra do Fluminense. Os clubes italianos Udinese e Milan foram os outros participantes da competição.

1989: no Estádio Olímpico de Kiev, na União Soviética, o Fluminense venceu a decisão do Torneio de Kiev após empatar em 0 a 0 com o Bangu, e vencer por 4 a 2 na definição por pênaltis. A Roma e o Dinamo de Kiev foram os outros participantes da competição conquistada pelo Tricolor.

1994: o Fluminense estreou no Campeonato Brasileiro, com uma vitória por 3 a 1 sobre o Náutico, no Estádio de Laranjeiras. Joãozinho e Ézio (2) marcaram os gols tricolores na partida.

2016: em partida válida pelo Campeonato Brasileiro, no Estádio Kléber Andrade, em Cariacica, o Fluminense ganhou por 1 a 0 do América Mineiro, com um gol do centroavante Henrique Dourado, de voleio, no primeiro minuto do segundo tempo. O Fluminense teve um gol legítimo anulado na partida.

****

Aniversariantes do dia:

Alírio Guazzi, o Bassu (1934), médio esquerdo com 67 atuações pelo Fluminense entre as temporadas de 1954 e 1957.

José Maria da Silva, o Zé Maria (1968), ponta-direita com 6 gols marcados em 37 partidas entre as temporadas de 1987 e 1989.

PCFilho

Sobre a origem da palavra "torcedor"


O vocabulário do futebol é recheado de termos interessantes, com as mais diversas origens etimológicas. Na Itália, por exemplo, os minutos finais de uma partida são chamados de "Zona Cesarini", devido a um feito do meia-atacante Renato Cesarini, que decidiu uma partida da Seleção da Itália contra a Hungria no apagar das luzes (13/12/1931, Itália 3 x 2 Hungria, Campo Torino [Turim]). Na Inglaterra, os fãs do turfe chamavam o melhor cavalo de cada páreo de "crack horse" - por associação, os melhores futebolistas passaram a ser os "craques". No Brasil, o meio-campista argentino Bernardo Gandula, que jogava no Vasco, sempre buscava as bolas que saíam do campo - quando a função passou a ser desempenhada por garotos, o público não hesitou em chamá-los de "gandulas" (vide meus posts Estrangeiros no Vasco11 termos futebolísticos curiosos utilizados mundo afora).

Quanto à origem da palavra "torcedor", não há consenso, com duas versões conflitantes. Segundo Ari Riboldi, autor do livro "Cabeça-de-bagre: termos, expressões e gírias do futebol", o termo "torcedor" viria do latim, do verbo "torquere", que tem os significados originais de "torcer" (literalmente), "desvirtuar", "distorcer", "adulterar", "tornar", "virar", "torturar" e "atormentar".

Há também a versão do saudoso jornalista e radialista Luiz Mendes. Segundo seu relato, que publiquei aqui pela primeira vez em 2011, as elegantes moças que frequentavam o campo do Fluminense, na rua Guanabara (atual Pinheiro Machado), "tiravam as luvas e ficavam com as luvas nas mãos, e como ficavam nervosas com o jogo, elas as torciam ansiosamente". Por causa deste comportamento, o escritor tricolor Henrique Maximiano Coelho Netto teria escrito uma crônica chamando as meninas da arquibancada do Fluminense de "torcedoras", e o termo posteriormente se espalharia para designar todos os que acompanhavam o esporte.
Henrique Maximiano Coelho Netto.

O site oficial do Fluminense corrobora a versão de Luiz Mendes: "Pois foi esse importante personagem [Coelho Netto] o responsável pela criação do termo 'torcida', que hoje serve para designar quem simpatiza com este ou aquele clube. Observador atento, Coelho Netto notou que quando o time atacava ou era atacado, as mulheres que compareciam aos jogos, com seus belos e quentes vestidos rendados, num misto de ansiedade, calor e nervosismo, empunhando sombrinhas, torciam suas luvas e lenços encharcados de suor. Em uma de suas colunas após um dos jogos, Coelho Netto chamou essas mulheres de 'torcedoras'. Pronto, estava criado o termo que até hoje é símbolo da paixão clubística. Em seguida, ganhou similar masculino".

Outro dia, minha querida Ana Rosa Amorim me perguntou se eu sabia onde encontrar essa crônica de Coelho Netto (que, além de ser um torcedor fanático do Fluminense e o pai dos ex-atletas tricolores ManoPreguinho, foi o fundador da cadeira número 2 da Academia Brasileira de Letras). Foi quando me dei conta de que, embora houvesse lido diferentes relatos sobre a crônica, nunca havia topado com o texto original em si. Após algumas horas de conversa com o amigo Google, percebi que, aparentemente, a crônica não estava disponível na internet (meu Deus, o que hoje em dia não está disponível na internet?). Pior: os diversos textos que a citam sequer dizem a data de sua publicação.

Como eu já tinha algumas anotações e arquivos sobre o tema, fui consultá-los. A revista "Careta" de 4 de novembro de 1916 publicou uma interessante entrevista com uma das já fanáticas "torcedoras" do Fluminense:
Careta, 04/11/1916.
(clique na imagem para ler melhor)

A referência mais antiga ao termo "torcedor" que eu tinha era o trecho de uma reportagem do jornal "O Imparcial" de 4 de junho de 1913, sobre uma partida entre o Paulistano e a A. A. Palmeiras, que terminou empatada em 2 a 2, e na qual "todas as torcedoras deixaram o Velódromo nem alegres, mas também nem tristes".
O Imparcial, 04/06/1913.

Certamente, portanto, os "torcedores" já eram assim chamados antes de 1913. De fato: fui pesquisar os arquivos do jornal "O Paiz", do Rio de Janeiro, e encontrei uma menção, na edição de 10 de maio de 1909, aos "torcedores do Fluminense" comemorando com entusiasmo o gol de Hargreaves numa partida contra o Botafogo (09/05/1909, Botafogo 2 x 2 Fluminense, rua Voluntários da Pátria [Rio de Janeiro]):
O Paiz, 10/05/1909.

Após mais algumas pesquisas, encontrei uma referência anterior, no "Correio Paulistano" de 9 de setembro de 1908, relatando a partida da véspera (08/09/1908, São Paulo Athletic 3 x 9 Paulistano, Velódromo [São Paulo]): "Nesta parte do jogo, maior foi a vantagem do Paulistano, que, visivelmente, brincava com seu fraco adversário, pois que quase sempre que queriam, marcavam para seu team mais um ponto e isto contra a vontade de alguns torcedores".
Correio Paulistano, 09/09/1908.

Segui as pesquisas, e consegui voltar mais alguns meses: "O Commercio de São Paulo" noticiou em 25 de junho de 1908 sobre um dos gols da partida da véspera (24/06/1908, Paulistano 3 x 2 São Paulo Athletic, Velódromo [São Paulo]): "Este feito foi coberto de aplausos da parte dos torcedores".
O Commercio de São Paulo, 25/06/1908.

Seguindo na pesquisa, novamente nos arquivos de "O Paiz", consegui encontrar uma menção anterior aos "torcedores", assim entre aspas (sinal de que o termo ainda devia ser considerado um neologismo na época). Foi na edição de 27 de junho de 1907, na reportagem sobre o jogo Internacional de Santos x Internacional de São Paulo:
O Paiz, 27/06/1907.

Voltando ainda mais nos arquivos de "O Paiz", lá está, na edição de 14 de agosto de 1906, em reportagem sobre uma partida do Campeonato Paulista (12/08/1906, A. A. Palmeiras 3 x 1 Germânia, Velódromo [São Paulo]), a menção a "um nosso amigo, incorrigível torcedor do Palmeiras":
O Paiz, 14/08/1906.

Em 3 de junho de 1906, o mesmo jornal "O Paiz" publicou uma coluna sobre futebol, com um trecho em que se utiliza o verbo "torcer": "O Vicente, o Jacques, o Barreto e outros não jogam, mas torcem mais do que 600 mil diabos".
O Paiz, 03/06/1906.

Partindo para o tradicional "Jornal do Brasil", encontrei uma utilização ainda anterior do verbo "torcer", fora do contexto esportivo, mas com o mesmo significado ("esperar", "querer", "desejar"). Na primeira página da edição de 25 de fevereiro de 1905, numa espécie de descrição de uma história de teatro, está escrito: "e mestre Feitosa, que tem muito amor ao 'seu', fica torcendo, para que o 'bond' a vir seja um 2ª classe, que então o negócio fica em 200 réis por pessoa".
Jornal do Brasil, 25/02/1905.

De acordo com os meus arquivos, o Fluminense realizara somente 21 partidas entre sua fundação (em 21 de julho de 1902) e esse dia 25 de fevereiro de 1905, todas amistosas - e somente 4 no seu campo, na rua Guanabara (atual Pinheiro Machado). Neste ponto da pesquisa, passei a desconfiar definitivamente que a versão de Luiz Mendes e do site do Fluminense sobre a crônica de Coelho Netto, ainda que criativa e divertida, não era verdadeira.

Enfim, acabei com as minhas dúvidas retornando ao sempre útil arquivo de "O Paiz". Em sua edição de 9 de junho de 1894, na seção "Humorismos", o diário publicou o texto que transcrevo abaixo, com a grafia exata da época. A autoria é de J. Guerra (pseudônimo de Urbano Duarte de Oliveira, membro fundador da Academia Brasileira de Letras, tal qual Coelho Netto):
"'Estou torcendo'!
É locução pittoresca, inventada pelo Manoel Joguinho e hoje generalisada, da mesma fórma que o 'Na ponta', o 'Dá sorte' e o 'Quanto quer apostar'.
Um amador de corridas 'torce' para o seu cavallo vencer, embora elle venha em 4º ou 5º logar. O frequentador de frontões 'torce' afim de que o pelotar em que apostou ganhe a quiniela. O comprador de bilhetes de loteria 'torce' para que a machina Fichet componha o seu numero.
A moça solteira 'torce', 'torce', até que certo rapaz louro a namore...
No bond, aquelle sujeito que se senta no ultimo banco 'torce', 'torce', até que a bella visinha da frente lhe lance uma olhadela...
Todos vivemos sempre a 'torcer', no intuito de conseguirmos qualquer coisa.
E a graça é que às vezes essas 'torcidelas', desprendendo certo fluido magnetico mysterioso, attrahem a sorte propicia e debellam o azar.
Conheço um 'sportsman' que obtem constantemente lucro em corridas.
Perguntei-lhe qual o segredo da sua felicidade.
Redarguiu-me convictamente:
– Torcendo!
Effectivamente!
Já tem a cara torcida, o corpo enviezado, os olhos vesgos, de tanto torcer. Não é um homem, e sim uma torcida. Mas ganha dinheiro, garanto-lhes!
Tentando imital-o representei triste figura, sem colher resultado algum.
O animal em que apostei saiu e chegou em ultimo logar, apezar das gatimanhas que fiz. Gemia, espremia, rosnava, retorcia-me, tocava realejo, puxava corda, fechava um olho, zarolhava o outro – nada! O burro sempre firme na bagagem.
Queixei-me ao 'torcedor'.
– Ora! – exclama elle. Você não sabe torcer!... Pensa que isto é escrevinhar em jornal. Coisa muito séria!
– Ah! Nesse caso peço-lhe que me ensine...
– Questão de fé... e fé não se ensina. É preciso saber torcer 'por dentro'...
– Por dentro?!
– Sim! Por dentro! Nas entranhas, nas dobradinhas!
– Vou experimentar!
No pareo seguinte 'torci por dentro', e o meu cavallo ganhou, depois de passar pelos quatro da frente!
Palavra de honra!
Estou agora 'torcendo' para que o amigo F. A. me faça presente de um diccionario Larousse.
Se se realizar a coisa, passo a escrever um tratado sobre a nova sciencia occulta da 'Torcidela', mais importante e proveitosa do que o hypnotismo."
O Paiz, 09/06/1894.

Urbano Duarte de Oliveira,
fundador da cadeira 12 da ABL.

Então, de acordo com Urbano Duarte de Oliveira, o uso de "torcer", "torcedor", "torcida" e demais derivações, com o significado esportivo, de "esperar", "querer", desejar", começou com um tal de Manoel Joguinho. O raciocínio exato do sujeito para dar esse novo significado ao verbo "torcer" permanece um mistério, e provavelmente assim será para sempre. Porém, resta demonstrado que "torcer" e seus vocábulos derivados já tinham o uso, com essa significação, generalizado em 9 de junho de 1894, portanto antes ainda do início da prática frequente do futebol em solo brasileiro. 

Assim, o Fluminense Football Club precisa corrigir o conteúdo do seu site oficial e o material da sua sala de troféus, que se equivocam ao ecoar a divertida porém incorreta história.

Talvez as torcedoras do Fluminense não tenham sido "as primeiras".
Mas as mais bonitas e elegantes elas sempre foram e sempre serão...
Foto: site oficial do Fluminense.

PCFilho

domingo, 13 de agosto de 2017

Efemérides tricolores - 13 de agosto



1930: o presidente Arnaldo Guinle enviou documento ao Clube de Regatas do Flamengo, no qual informou que o Fluminense abriu mão do terreno de 14.300 metros quadrados na avenida Ruy Barbosa, área nobre da Zona Sul do Rio de Janeiro, em favor do co-irmão rubro-negro, que se interessara pela área para construir ali a sede de sua seção náutica. No dia seguinte, o Fluminense recebeu um ofício assinado por José Bastos Padilha, secretário do Flamengo: "Cumpre-me levar ao conhecimento de V. Exª. que a Directoria deste Club, em reunião hontem realizada, deliberou que constasse na acta de seus trabalhos um voto de sincero agradecimento pelo gesto de fidalguia do Fluminense, que refletiu muito sympathicamente nas relações de amizade que unem essas duas sociedades". Pouca gente sabe, mas a sede do Flamengo no Morro da Viúva foi doada pelo Fluminense.

1931: em jogo amistoso, no Estádio de Laranjeiras, o Fluminense venceu a Seleção Gaúcha por 3 a 2. Os gaúchos jogaram com Pena; Luiz e Risada; Ribeiro, Magno e Tristão; Benjamin, Luiz II, Honório, Foguinho e Moderato Visintainer (Nenê). O Fluminense atuou com Velloso; Alemão e Pedro Fortes; Frota, Cabral e Ivan Mariz; Ripper, Demósthenes, Alfredinho (Betinho), Preguinho e De Mori (Sálvyo). Todos os cinco gols aconteceram no primeiro tempo: Honório abriu o placar para os visitantes, Ivan Mariz empatou, Demósthenes virou o placar, Preguinho ampliou para 3 a 1 cobrando falta, e Foguinho fez o gol de honra dos gaúchos. O jogo valeu a Taça Jorge Py, homenagem ao zagueiro gaúcho Jorge Tavares Py, que falecera tragicamente no acidente com o trem do Fluminense no ano anterior, na serra de Teresópolis.

1933: no Estádio de Laranjeiras, em jogo do Torneio Rio-São Paulo, o Fluminense ganhou por 2 a 0 do Ypiranga, com gols de Ivan Mariz e Brant.

1961: em partida do primeiro turno do Campeonato Carioca, o Fluminense derrotou o Bonsucesso por 1 a 0, na Gávea, com um gol do ponta Escurinho, aos 16 minutos do primeiro tempo.

1969: na penúltima rodada da Taça Guanabara (competição à parte do Campeonato Carioca), o Fluminense perdeu por 1 a 0 para o Botafogo, no Maracanã. Mesmo com o tropeço, o Tricolor precisaria apenas de uma vitória na partida final, contra o America, para levantar o troféu (vide 17 de agosto).

1978: na decisão do terceiro lugar do Torneio Teresa Herrera, o Fluminense venceu o Deportivo La Coruña por 2 a 1, no Estádio Riazor, em La Coruña. Robertinho e Zezé marcaram os gols da vitória tricolor. Na decisão do troféu, o Flamengo perdeu para o Real Madrid por 2 a 0, não conseguindo repetir a conquista do Fluminense no ano anterior (vide 7 de agosto).

1983: o Fluminense ganhou por 1 a 0 do Campo Grande, no Maracanã, com gol de Tato, em partida válida pelo Campeonato Carioca, competição que terminaria com o Fluminense levantando a taça.

1989: na semifinal do Torneio de Kiev, na União Soviética, o Fluminense derrotou a Roma, da Itália, por 1 a 0, com um gol de Marquinho Carioca. Na outra semifinal, o Bangu empatou em 0 a 0 com o Dinamo de Kiev, e venceu os anfitriões por 4 a 3 na disputa de pênaltis. No dia seguinte, o Fluminense se sagraria campeão na final contra o Bangu (vide 14 de agosto). As partidas da competição aconteceram todas no Estádio Olímpico de Kiev.

1995: em amistoso, o Fluminense venceu o Operário de Várzea Grande por 4 a 3, no Estádio José Fragelli, em Cuiabá. Valdeir, Renato Gaúcho, Rogerinho e Darci marcaram os gols tricolores na partida.

2003: o Fluminense ganhou por 2 a 0 do Corinthians, no Maracanã, em partida válida pela primeira fase da Copa Sul-Americana. Os gols tricolores foram de Rodolfo (de falta) e Sorato.

2006: o Fluminense derrotou o Cruzeiro por 3 a 2, no Mineirão, em jogo válido pelo Campeonato Brasileiro. Marcelo, Roger Machado e Tuta marcaram os gols da vitória tricolor em Belo Horizonte.

****

Aniversariantes do dia:

Mário Assunção de Carvalho, o Marinho (1952), lateral-direito com 41 atuações pelo time principal do Fluminense, entre os anos de 1980 e 1981. Integrou o elenco campeão carioca de 1980.

Jeferson Magno Barbosa da Silva, o Capitão (1975), centroavante com 4 gols marcados em 11 partidas pelo Fluminense na temporada de 1995, quando fez parte do plantel campeão carioca.

Gilmar de Lima Nascimento, o Gilmar Fubá (1975), cabeça-de-área com 13 atuações pelo Fluminense na temporada de 2001, tendo participado da campanha que levou o clube à semifinal do Campeonato Brasileiro.

Leandro Lessa Azevedo, o Leandro Guerreiro (1980), atacante com 10 gols marcados em 53 partidas pelo Fluminense na temporada de 2005. Na decisão do Campeonato Carioca daquele ano, Leandro acreditou num lance que parecia perdido, e fez um lançamento espetacular, que resultaria no gol do título por Antônio Carlos, nos acréscimos do segundo tempo.

PCFilho